Podcaster

Podcaster: o que é, quanto ganha e como se tornar um (2024)

Você já se viu muito interessado em um assunto específico e se pegou ouvindo podcasts para se aprofundar no tema?

Se sim, saiba que você não está sozinho.

Na verdade, esse é o principal motivo do consumo deste formato de conteúdo apontado por 54% dos brasileiros, de acordo com pesquisa realizada pelo IAB Brasil, em parceria com a Offerwise e divulgada no Guia Podcast Advertising 2022.

É uma marca expressiva, já que atualmente mais de 30 milhões de brasileiros consomem podcasts, colocando o país atrás apenas da Suécia e Irlanda no ranking mundial, segundo estudo do CupomValido.com.br com dados da Statista e do IBOPE.

São dados que demonstram o grande mercado disponível e também o interesse do brasileiro nessa forma de consumo de conteúdo.

Por isso, se você já pensou em ser apresentador de podcast, acredite: você também pode ter o seu lugar ao sol nesse mercado de grandes investimentos monetários.

E para saber quais são os passos para isso acontecer, acompanhe esse artigo com dicas importantes para mandar bem nessa carreira.

O que é e o que faz um podcaster?

O podcaster é um termo que pode ser destinado tanto à quem conduz o assunto do podcast, também conhecido como apresentador ou host, como a quem edita o material captado.

Para cada função há atividades diferentes, como veremos detalhadamente mais à frente.

Porém, de forma simplificada, podemos dizer que o podcaster apresentador é responsável por todo o trabalho em torno do conteúdo apresentado.

Já o editor tem como responsabilidade pensar nos aspectos mais técnicos de captação e apresentação final do produto.

Essas são as funções básicas de um podcaster. 

É claro, grandes podcasts, como Podpah, Flow e O Assunto, os gigantes nacionais nesse segmento, possuem grandes equipes com atribuições mais específicas para cada funcionário.

Também, no extremo oposto, estão os iniciantes nessa carreira que diversas vezes terão a necessidade de executar todas as funções (de apresentar a editar).

E essa dinâmica perdura até o seu produto passar a ser rentável e haver condições de contratar funcionários.

Por isso, o planejamento é uma parte essencial na criação de um podcast.

Mas, monetariamente, vale a pena ser podcaster?

Quanto ganha um podcaster?

Nos Estados Unidos, por exemplo, o ganho médio de um podcaster host é de US$73.300,00 ao ano, o que equivale a aproximadamente US$ 6.108,00 por mês, segundo análise realizada pelo site ZipRecruiter.

Já para um podcaster produtor, o salário é um pouco menor, ficando na faixa dos US$64.280,00 anualmente, o que equivale a aproximadamente US$ 5.360,00 mensais, de acordo com a mesma fonte.

Porém, quando tratamos de ganhos monetários de um podcaster, é muito difícil apresentarmos uma resposta precisa.

Afinal, não é uma profissão regulamentada e, por isso, não existe nenhum estudo ou pesquisa brasileira com informações sobre ganho médio.

Outro fator que corrobora para isso é a origem do faturamento, que pode ocorrer por diversas vias, como das plataformas de hospedagem (YouTube, Spotify, Deezer…), patrocinadores e até mesmo investidores.

E para cada uma dessas vias, os contratos e meios de rentabilidade são diferentes e específicos, o que dificulta ainda mais esse trabalho.

É interessante observar também o movimento das grandes empresas ao se depararem com o aumento do interesse nesse tipo de conteúdo e o que estão fazendo para se beneficiarem.

O YouTube, por exemplo, anunciou no início de 2022 um programa de subsídio a podcasters que incentiva a produção de seus episódios em forma de vídeo para alimentar a plataforma.

Em troca, a gigante do Google oferece pagamentos de US$ 50 mil a programas individuais e de até US$ 300 mil às redes de podcasts.

E, convenhamos, ganhar em dólar é ainda mais vantagem para nós, brasileiros.

Isso tudo se deve ao expoente crescimento do consumo de podcast em todo o mundo. 

Em uma projeção realizada pelo Grand View Research, até 2028 a taxa de crescimento anual composta em todo o mundo deve ser de 31% em relação a 2021.

Isso simboliza maior percentual de potenciais consumidores que, por sua vez, atraem maiores investimentos ao setor e ganhos monetários aos podcasters.

Porém, aumentar a renda do seu podcast também carece de estratégias, afinal, o potencial é alcançável, mas também é preciso ir atrás dele.

Por isso, avalie formas de monetizar o seu canal, como:

  • Vender espaço para anunciantes;
  • Divulgar seu podcast;
  • Promover produtos próprios ou de afiliados;
  • Desenvolver conteúdos exclusivos pagos;
  • Procurar investidores ou financiamento coletivo.

As variáveis são enormes, porém, as oportunidades também são e estão aí, prontas para serem alcançadas, afinal, viver como podcaster já é uma realidade.

Como se tornar um podcaster?

Conforme comentamos no início da nossa conversa, podcaster é um termo utilizado tanto para quem apresenta, quanto para o profissional que edita o material captado.

Para cada um, há funções diferentes.

O podcaster apresentador é aquele que está à frente do microfone e/ou das câmeras. 

É quem vai guiar o espectador no assunto abordado ou na entrevista cedida.

Apesar de ser uma função de maior evidência, não se engane com o brilho, afinal, esse profissional tem como responsabilidades:

  • Propor e desenvolver pautas de interesse do público;
  • Estudar sobre o tema/entrevistado ;
  • Escrever roteiro dos programas;
  • Ir atrás de entrevistados;
  • Ter boa dialética, retórica e oratória;
  • Em alguns casos, ter uma boa escrita.

E claro, conseguir sustentar uma conversa ou assunto de forma interessante e instigante, tanto para quem consome como para quem é convidado a participar do podcast.

Ou seja: carisma é essencial à essa função.

O podcaster editor, por sua vez, é quem trabalha por trás dos microfones e das câmeras.

De certa forma, é a pessoa responsável pela parte técnica e tecnológica do produto.

Esse profissional tem como responsabilidades:

  • Avaliar as melhores formas de captar material, seja em áudio e/ou em vídeo;
  • Acompanhar as gravações quando realizadas em estúdio ou em lugar destinado a essa necessidade;
  • Realizar e acompanhar lives;
  • Editar o material captado (como juntar áudios separados, sincronizar áudio e vídeo e realizar cortes de trechos específicos).

Mesmo longe dos holofotes, o editor é uma peça essencial na realização de um podcast, afinal, é ele quem irá deixar o material exatamente do jeito que o público consumirá.

Athon-MBA

Mas, como desenvolver todas essas habilidades?

Há diversos caminhos possíveis para isso. 

Profissionais da área da comunicação estão em constante contato entre si, compartilhando ideias, experiências e conhecimentos, praticando o famoso networking: movimento essencial para se dar bem profissionalmente.

Mas se você está entrando nesse novo mundo e não sabe por onde começar, o ensino superior é um excelente caminho para criar conexões e redes de contato.

Alguns cursos, inclusive, podem colaborar com um conhecimento mais especializado, dependendo do tipo de podcaster que você deseja ser.

No curso de Jornalismo, além de aprender a apurar a notícia, você também desenvolverá técnicas de entrevista para extrair a história do seu convidado de forma cativante para o seu público.

Como vimos, estratégia também é um elemento importante para quem quer ter seu próprio podcast.

Por isso, o curso de Publicidade e Propaganda pode contribuir nesse quesito, aplicando o conhecimento de mercado de forma criativa ao seu empreendimento.

Já para quem deseja ser podcaster editor, apostar em Produção Fonográfica ou na Produção Audiovisual também é um caminho interessante.

Nesses cursos, você vai conhecer os programas e técnicas mais utilizadas no mercado para captação e edição de materiais audiovisuais.

Os top 5 podcasts mais ouvidos no Brasil 

E você sabe quais foram os podcasts mais ouvidos no último ano?

Com base nos dados apresentados pelo Spotify na sua retrospectiva anual, esses foram os programas mais ouvidos em 2022 na maior plataforma de streaming de música no país.

5° Lugar: Psicologia na Prática

Psicologia na Prática

Apresentado pela psicóloga e especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, Alana Anijar, o programa tem por finalidade apresentar a psicologia no cotidiano das pessoas.

O podcast aborda assuntos como inteligência emocional, autoestima, saúde emocional e autoconhecimento.

4° Lugar: Café da Manhã

Café da Manhã

Como o nome sugere, logo pela manhã os jornalistas Maurício Meireles, Bruno Boghossian e Magê Flores trazem as principais notícias do Brasil e do Mundo em uma parceria entre a Folha de São Paulo e o Spotify.

3° Lugar: Mano a Mano

Mano a Mano

Apresentado por Mano Brow, o Mano a Mano é um podcast Original Spotify e tem como ideia central debater assuntos e ideias diversas de forma aberta e respeitosa. 

Entre os entrevistados que já passaram pelo programa estão Regina Casé, Glória Maria, Djonga e o Presidente Lula.

2° Lugar: A mulher da casa abandonada

A mulher da casa abandonada

Produto da Folha, o podcast é narrado pelo jornalista Chico Felitti que em uma apuração de 6 meses, acompanhou de perto a história de Margarida Bonetti.

A mulher herdou uma mansão abandonada no bairro de Higienópolis, na Grande São Paulo, na qual residia após voltar para o Brasil foragida dos Estados Unidos.

Além do fato ser curioso por si só, a moradora chamava ainda mais atenção pelo fato de aparecer sempre com uma pomada branca no rosto e que, como revelado, escapou das acusações de um julgamento de um crime hediondo, cometido nos EUA.

1° Lugar: Podpah

Podpah

Em primeiro lugar está o Podpah. 

Apresentado por Igão e Mítico, o podcast alcançou também a marca de 24° lugar de programas mais populares no ranking mundial. 

O Podpah também carrega o feito de ser o primeiro podcast a utilizar a funcionalidade de vídeo do Spotify, novidade disponibilizada na América Latina pela primeira vez em janeiro de 2022.

Como surgiu o podcast?

Apesar do exponencial crescimento de ouvintes e popularização dos podcasts nos últimos anos, o formato já tem quase 25 anos de existência.

A origem dos podcasts é datada de 1999, quando a transmissão de informação pelo formato RSS passou a ser utilizada.

Os primeiros programas foram criados entre 2001 e 2003 na Noruega pelo então funcionário da MTV americana, Adam Curry.

Inclusive, o termo “Podcast” também foi criado por Adam, mas apenas em 2004, sendo uma junção das palavras “iPod” e “broadcast”, expressão inglesa para transmissão via rádio.

Os precursores do formato no Brasil foram os podcasts Nerdcast e Café Brasil, programas que, inclusive, existem até hoje.

O aumento no consumo de podcasts no mundo começou significativamente apenas em 2014, quando o programa estadunidense The Serial publicou um episódio em que uma jornalista revisita um antigo caso de assassinato.

No programa, ela coletou depoimentos então atuais e analisou também os cedidos na época do crime.

O caso levantou vários questionamentos, como também despertou a curiosidade e o gosto em mais pessoas pelo formato.

Após esse período, os podcasts tiveram um movimento maior apenas a partir de 2020, com o advento da quarentena em razão da covid-19.

Tipos de podcast

O interessante deste formato são também as possibilidades de criar conteúdos, adaptando ao que melhor encaixa com o seu produto, seja na abordagem ou na estrutura de programa.

Abaixo, separamos três formatos para você conhecer e se inspirar.

1) Bate-papo

Neste modelo de estrutura, várias pessoas conversam sobre um assunto em específico, sejam convidados diferentes por programas, ou com as mesmas pessoas.

Em uma linguagem bem brasileira, é como uma conversa “de mesa de bar”.

Aqui, é importante que a conversa seja estimulante, em uma linguagem de fácil entendimento do público, além de evitar piadas internas.

2) Monólogo

Como o próprio nome sugere, nesse formato temos apenas um apresentador que conta histórias, reais ou ficcionais, ao público.

Se por um lado o monólogo precisa de uma estrutura muito mais simples para acontecer, por outro, exige do host bastante articulação e repertório para manter a atenção do público.

3) Entrevista

Na entrevista, um convidado participa do programa, seja para ser entrevistado sobre algum aspecto da sua vida, seja como especialista em um assunto específico.

Ao contrário do bate-papo, a entrevista possui um caráter mais direcionado, não sendo algo tão aberto e amplo.

O interessante da entrevista é levar convidados para falar sobre assuntos de interesse do público ao qual se sintam conectados, que não necessariamente serão apenas pessoas famosas ou influentes.

Um assunto para todos os interesses

Afinal, com a popularização dos podcasts, o que não faltam são possibilidades de criações e públicos a serem atendidos.

Se você deseja ser podcaster, saiba que esse é um mercado promissor e com grandes expectativas de crescimento.

Aliás, para estar preparado para todas essas possibilidades, os cursos de graduação da Athon são um excelente primeiro passo. 

Além disso, para se manter informado sobre profissões e carreiras, você pode continuar acompanhando o nosso blog e também o nosso podcast Athon Cast!

Quer receber informações sobre inovação e mercado de trabalho?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.